Level 17
Level 18

Datas-18


10 words 0 ignored

Ready to learn       Ready to review

Ignore words

Check the boxes below to ignore/unignore words, then click save at the bottom. Ignored words will never appear in any learning session.

All None

Ignore?
1713
A vitória da Grande Aliança sobre a França de Luís XIV é reconhecida com a assinatura do TRATADO DE UTRECHT (11 abr.). Com apoio britânico, Portugal obtém, pelo ARTIGO 8o do Tratado, que a França desista de suas pretensões às terras do Cabo Norte e que o RIO OIAPOQUE passe a ser a fronteira entre a Guiana Francesa e o Brasil. Após a Guerra de Sucessão da Espanha, Portugal ficará cada vez mais ligado à aliança com a Grã-Bretanha, ao passo que a Espanha buscará a proteção da França bourbônica. Esse SISTEMA DE ALIANÇAS permitirá às duas metrópoles ibéricas a manutenção de suas colônias em meio à rivalidade franco-britânica no século XVIII.
1806
Decretado por Napoleão, em Berlim, o BLOQUEIO CONTINENTAL contra a Grã-Bretanha (21 nov.). A Grã-Bretanha irá retaliar proibindo o comércio marítimo dos países neutros com a França e seus aliados.
1822
No MANIFESTO AOS GOVERNO E NAÇÕES AMIGAS, D. Pedro convida-os a “continuarem com o Reino do Brasil as mesmas relações de mútuo interesse e amizade” (6 ago.). O Brasil estaria pronto a trocar ministros e agentes diplomáticos e os portos nacionais continuariam a estar abertos a “todas as nações pacíficas e amigas”. Os colonos europeus que para aqui emigrassem poderiam contar com “a mais justa proteção neste país rico e hospitaleiro”, e os sábios, artistas, capitalistas e empreendedores encontrariam também “a amizade e o acolhimento”.
1850
Aprovada a LEI EUZÉBIO DE QUEIRÓS (ministro da Justiça) de extinção do tráfico negreiro no Brasil (4 set.). Cede-se à violenta pressão externa, mas o mercado de escravos já se encontra abastecido. Ao contrário das anteriores, a lei será efetivamente cumprida e traficantes portugueses serão expulsos do país. A Grã-Bretanha era então o principal parceiro comercial e o maior credor do Brasil, respondendo por quase 50% do fornecimento das importações brasileiras. A maior parte do comércio exportador do Brasil era controlado por firmas britânicas baseadas no Rio de Janeiro (Phipps Brothers, Naumann Gepp, Edward Johnston & Co., entre outras). Capitais britânicos também participarão do surto de modernização econômica que depois caracterizará o apogeu do Segundo Reinado.
1906-1908
O programa de ___ para o REARMAMENTO DA MARINHA BRASILEIRA, que prevê a aquisição de três novos encouraçados, recebe duras críticas da Argentina, que defende o princípio da “EQUIVALÊNCIA NAVAL” entre os países sul-americanos. Em reunião ministerial secreta, o chanceler argentino, Estanislao Zeballos, sugere um plano para forçar o Brasil a reduzir seu programa naval, contemplando inclusive a ocupação do Rio de Janeiro (10 jun.). Detalhes do plano aparecem na imprensa portenha e Zeballos é obrigado a renunciar (21 jun.). CASO DO TELEGRAMA N. 9: o ex-chanceler Zeballos denuncia o “perigo brasileiro” e faz publicar no jornal La Prensa versão apócrifa de telegrama sigiloso de Rio Branco à Legação em Santiago, com conteúdo supostamente hostil à Argentina (20 out.).
1958
Criado, junto ao Conselho da OEA, Comitê Especial para estudar a formulação de novas medidas de cooperação econômica, mais conhecido como o COMITÊ DOS 21, encarregado de discutir modalidades de implementação da OPA (24 set.). Em sua primeira reunião, em Washington, o Comitê exclui a possibilidade de um “Plano Marshall para a América Latina”, frustrando o representante brasileiro Augusto Frederico Schmidt (17 nov.).
1962
A VIII Reunião de Consulta dos Ministros das Relações Exteriores Americanos, em Punta del Este, decide por 14 votos pela SUSPENSÃO DE CUBA NA OEA (31 jan.). Apesar de pressões domésticas e do governo norte-americano, o Brasil, representado por San Tiago Dantas, defende posição conciliatória, baseada no princípio da não-intervenção, e se abstém na votação final, juntamente com Argentina, Bolívia, Chile, Equador e México (chamados OUTER SIX). A participação brasileira em Punta del Este suscita grandes debates no país e a Política Externa Independente (PEI) enfrenta forte oposição interna. San Tiago Dantas sustenta que a política externa deve basear-se no desenvolvimento econômico, na reforma social, na busca de novos mercados e na “consideração exclusiva do interesse nacional”. O Brasil, embora pertença histórica e culturalmente ao Ocidente, “não integra blocos” (neutralismo), e preconiza maior autonomia e liberdade de atuação, sem preconceitos ideológicos (pragmatismo).
1970
O Brasil se sagra tri-campeão mundial de futebol no México (21 jun.). A propaganda oficial estimula o sentimento patriótico, adotando slogans como “Brasil: ame-o ou deixe-o” ou “Ninguém segura este país”. Tendo DELFIM NETO como ministro da Fazenda, o chamado “MILAGRE ECONÔMICO” eleva o crescimento do PIB a taxas médias acima de 10% ao ano entre 1970 e 1973. A DOUTRINA DA ESCOLA SUPERIOR DE GUERRA (ESG), com ênfase no “fortalecimento do Poder Nacional”, e estudos sobre geopolítica, convergem em torno do projeto de TRANSFORMAR O BRASIL EM GRANDE POTÊNCIA até o ano 2000.
1977
Em resposta às críticas norte-americanas, contidas em relatório sobre a situação dos direitos humanos no país, o BRASIL DENUNCIA O TRATADO DE ASSISTÊNCIA MILITAR COM OS EUA de 1952, que na prática já se encontrava inoperante (11 mar.). A decisão reforça tendência à busca de maior autonomia estratégica para o país, amparada na expectativa de desenvolvimento de uma indústria bélica nacional.
1983
O ministro Danilo Venturini é enviado em MISSÃO ESPECIAL AO SURINAME, a fim de oferecer ao governo do tenente-coronel Desiré BOUTERSE linhas de crédito do Brasil (15-17 abr.). O objetivo da missão era evitar o eventual RISCO DE “CUBANIZAÇÃO” do país, caso o governo surinamês recorresse à ajuda oferecida por Cuba.